Início > Exercícios > Lendo
Primeira Guerra Mundial

01. Por que o Japão se envolveu na Primeira Guerra Mundial?

Ver resposta
Resposta: Na Ásia, o governo japonês viu mais vantagens em envolver-se no conflito do que se manter neutro, e declarou guerra à Alemanha interessado nas bases alemãs na China.

 

02. Explique o acontecimento denominado de "PAZ ARMADA".

Ver resposta
Resposta: Era senso comum que uma ruptura da paz traria problemas de proporções inimagináveis à Europa. Entretanto, as tensões surgidas durante a expansão imperialista levaram ao que ficou denominado como período da “Paz Armada” (1875-1914), uma linear e ininterrupta corrida armamentista estimulada pelas inovações científicas e tecnológicas, que se somou à exaltação do nacionalismo e do patriotismo, prenunciando uma guerra.

 

03. Entre os antecedentes da Primeira Grande Guerra qual podemos apontar como principal fator? Justifique.

Ver resposta
Resposta: Ao final do século XIX, no entanto, a estabilidade econômica e a segurança proporcionada pela política de equilíbrio de poder entre as nações era mais aparente do que real. As disputas entre as potências imperialistas estavam cada vez mais acirradas, o que dificultava as soluções negociadas. No plano social, aumentava o antagonismo entre as burguesias europeias, que podiam desfrutar de grande conforto material, e as massas operárias e camponesas economicamente oprimidas, que passavam a expressar seu descontentamento de forma organizada.

 

04. O pan-eslavismo e o pangermanismo marcaram o contexto político e cultural da Europa às vésperas da guerra. Qual o significado desses movimentos? O que eles tinham em comum? De que maneira eles contribuíram para a eclosão da Primeira Guerra Mundial?

Ver resposta
Resposta: Os sérvios; que já tinham se tornado independentes do domínio turco; aspiravam criar a Grande Sérvia, por meio da união dos povos eslavos que estavam sob o domínio turco e austro-húngaro. Essa política tinha apoio no pan-eslavismo, defendido e liderado pela Rússia, que se considerava a líder e guia natural dos povos eslavos do Sul (iugoslavos). Havia também o interesse russo em controlar as saídas para o mar, principalmente os estreitos de Bósforo e de Dardanelos. Na Alemanha, o nacionalismo girava em torno do pangermanismo, a ideia de unir os povos germânicos em um poderoso e extenso Império Alemão. Clubes patrióticos proliferavam, assim como organizações militaristas.

 

05. Ao eclodir a Primeira Guerra Mundial, em 1914, a Alemanha dispunha de um plano militar – o Plano Schlieffen – Qual era o principal objetivo desse plano?

Ver resposta
Resposta: A primeira fase estava relacionada ao Plano Schlieffen, estratégia ofensiva alemã elaborada ainda em 1905, sob os efeitos do clima de revanchismo francês que preponderava em sua política externa. Esse plano previa a mobilização de boa parte do exército alemão para invadir o território francês, pela Bélgica e pela Alsácia-Lorena, e render Paris ao final de seis semanas. Alcançado tal intento, os alemães julgavam que estariam livres para enfrentar os russos, direcionando suas tropas para o ataque e a invasão daquele país.

 

06. Quais interesses motivaram a participação dos E.U.A na Primeira Guerra Mundial?

Ver resposta
Resposta: Sentindo-se ameaçados pela agressividade marítima alemã, os Estados Unidos, que até então se mantinham neutros, embora fornecessem alimentos e armas aos países da Entente, usaram como pretexto o afundamento do transatlântico Lusitânia (que resultou na morte de dezenas de passageiros norte-americanos) para declarar guerra contra as potências centrais. Os Estados Unidos eram os maiores fornecedores de suprimentos para a Europa e temiam à ameaça de paralização de suas exportações diante da guerra submarina alemã e à intenção germânica de se aliar ao México em troca de ajuda militar na reconquista dos territórios mexicanos perdidos para os norte-americanos.

 

07. Terminada a Primeira Guerra Mundial, e reconhecida como derrotada, a Alemanha sofreu as maiores perdas do Tratado de Versalhes em 1919. Cite três penalidades aplicadas a Alemanha.

Ver resposta
Resposta: Tratado de Versalhes, que considerou a Alemanha culpada pela guerra e criou uma série de determinações que visavam a enfraquecê-la e desmilitarizá-la. Por esse tratado, estabelecia-se a devolução da Alsácia-Lorena à França e o acesso da Polônia ao mar por uma faixa de terra dentro da Alemanha que desembocava no porto livre de Dantzig – seria o chamado “corredor polonês”. A Alemanha perdia todas as suas colônias ultramarinas e parte de seu território europeu para os franceses, ingleses e seus aliados. Perdia também a artilharia e a aviação; passava a ter um exército limitado a 100 mil homens e ficava proibida de construir navios de guerra.

 

08. O que foi a política de alianças? Quais os blocos foram formados com essas alianças?

Ver resposta
Resposta: A Alemanha, desde sua unificação, fundamentou a política externa no isolamento da França, criando um sistema internacional de alianças político-militares que cerceassem o revanchismo francês. Em 1873, o chanceler alemão Otto von Bismarck instaurou a Liga dos Três imperadores, da qual faziam parte a Alemanha, a Áustria-Hungria e a Rússia. Entretanto as divergências entre a Rússia e a Áustria com relação à região dos Bálcãs, originadas do apoio russo às minorias eslavas da região, que almejavam a independência, acabaram com essa aliança em 1878. Em 1882, o Reich (império) alemão firmou a Tríplice Aliança, unindo-se ao Império Austro-Húngaro e à Itália. Somente na última década do século XIX a França começou a sair de seu isolamento internacional, conseguindo estabelecer um pacto militar com a Rússia em 1894. A Inglaterra se aproximou da França, formando com ela o bloco denominado Entente Cordiale, em 1904, que fundia os interesses comuns dos dois países no plano internacional. A partir de então, as antigas hostilidades franco-inglesas foram esquecidas para que os dois países enfrentassem um inimigo comum: o sucesso econômico da Alemanha, sua expansão colonial e seu exaltado nacionalismo. A adesão da Rússia à Entente Cordiale originou a Tríplice Entente. Assim, passavam a existir na Europa dois grandes blocos antagônicos: a Tríplice Aliança e a Tríplice Entente, que fomentaram a tensão que levou os países europeus aos preparativos armamentistas.

 

09. Como foi a participação do Brasil na Primeira Guerra Mundial?

Ver resposta
Resposta: A participação do Brasil no conflito foi muito mais “simbólica” do que de efetiva participação militar. O governo brasileiro enviou em maio de 1918 seis navios de combate e mais dois navios auxiliares que ficaram navegando ao longo da costa da África para observar a movimentação das forças inimigas. O Brasil também enviou uma missão de 92 médicos à França com o objetivo de instalar um hospital militar em Paris. Porém, mais do que atender feridos de guerra, os médicos acabaram cuidando principalmente das vítimas da gripe espanhola, que se espalhava rapidamente.

 

10. Como foi a participação das mulheres em tempo de guerra?

Ver resposta
Resposta: Com o deslocamento de grande número de homens para os campos de batalhas, muitas mulheres de classe média e alta tiveram que trabalhar fora de casa, assim como já faziam as mulheres pobres. No campo, as mulheres ficaram responsáveis principalmente pela produção agrícola e pela criação de animais. Muitas das que viviam nas cidades, por sua vez, foram trabalhar no setor dos transportes, dirigindo ônibus e caminhões, e também nas indústrias em geral, entre elas, a bélica. Também houve muitos casos de mulheres que foram para os campos de batalha trabalhar como enfermeiras, cozinheiras, motoristas de ambulância e escriturárias.

 

11. Foi grande a utilização da propaganda a favor da guerra? Justifique sua resposta

Ver resposta
Resposta: A propaganda nacionalista, feita por meio de fotografias e cartazes, foi o principal instrumento da campanha oficial a favor da guerra. Ela também servia para convocar voluntários para as equipes médicas e para levantar recursos às campanhas militares. A propaganda geralmente apelava para a emoção e relembrava acontecimentos da história do país que alimentavam o fervor patriótico. Os Estados Unidos foram os maiores produtores de cartazes da Primeira Guerra Mundial. O governo norte-americano investiu na criação do Comitê de Informação Pública, órgão encarregado de preparar campanhas publicitárias com o objetivo de promover a guerra junto à opinião pública.

 

12. Descreva as principais características das duas fases da Primeira Guerra Mundial, levando em conta as estratégias militares adotadas.

Ver resposta
Resposta: No início, todos os contendores esperavam uma guerra de movimento (em que tropas se deslocam e conquistam outro território), rápida, mas nenhuma potência conseguiu vantagem suficiente para sobrepor-se a outra e vencer o conflito. Por isso, ele derivou para uma guerra de posição (em que o objetivo é não perder terreno e, aos poucos, ir conquistando território do inimigo), o que tornou as trincheiras a marca registrada da Primeira Guerra Mundial.

 

13. Como podemos explicar o período denominado de A BELLE ÉPOQUE?

Ver resposta
Resposta: Na Europa, o período entre 1880 e 1914 ficou conhecido como Belle Époque (Bela Época). Esse período foi marcado pelo otimismo e prosperidade causados por um grande desenvolvimento tecnológico e pelo progresso industrial.

 

14. Por que a região dos Bálcãs transformou-se no “barril de pólvora da Europa” no início do século XX?

Ver resposta
Resposta: Na região dos Bálcãs, dominados pelo Império Turco-Otomano e pelo Império Austro-Húngaro, o sentimento nacionalista manifestou-se de maneira violenta. Minorias nacionais, como os macedônios, eslovenos, albaneses, croatas e ucranianos, lutavam por sua independência em relação aos turcos e aos austro-húngaros. Os sérvios; que já tinham se tornado independentes do domínio turco; aspiravam criar a Grande Sérvia, por meio da união dos povos eslavos que estavam sob o domínio turco e austro-húngaro. Essa política tinha apoio no pan-eslavismo, defendido e liderado pela Rússia, que se considerava a líder e guia natural dos povos eslavos do Sul (iugoslavos). Havia também o interesse russo em controlar as saídas para o mar, principalmente os estreitos de Bósforo e de Dardanelos. Os russos, entretanto, encontraram resistência do Império Austro-Húngaro e da Alemanha, que projetava construir a estrada de ferro Berlim-Bagdá, para ter acesso às áreas petrolíferas do Golfo Pérsico. Cruzando os Bálcãs e seguindo em direção ao sul, pelo estreito de Bósforo, a ferrovia atravessaria territórios pertencentes ao Império Turco. O ideal de unificação eslava, encabeçado pela Sérvia e que resultaria na Grande Sérvia, tornou-se mais distante quando as regiões da Bósnia e da Herzegovina foram tomadas ao domínio turco e anexadas à Áustria-Hungria, em 1908. Desse modo, para conquistar a unidade, os sérvios tinham agora de lutar contra os impérios Turco e Austro-Húngaro.

 

15. Por que anos antes da Primeira Guerra Mundial, iniciada em 1914, livros e jornais europeus (principalmente alemães) defendiam a guerra?

Ver resposta
Resposta: Anos antes da Primeira Guerra Mundial, iniciada em 1914, livros e jornais europeus (principalmente alemães) defendiam a guerra como “o preço que se deve pagar pela cultura”, ou “um patamar para um nível mais elevado de criatividade e espírito”. Apesar dos movimentos antibélicos, muitos intelectuais e artistas acreditavam na guerra como a solução para problemas que iam além da economia e da política, como o escritor alemão Thomas Mann, para quem o conflito armado libertaria os seus contemporâneos de uma “realidade apodrecida”.

 

16. Descreva os motivos que levaram a Alemanha unificada a alterar o contexto político e econômico da Europa.

Ver resposta
Resposta: A Alemanha, por exemplo, após sua unificação em 1871, passou por um grande desenvolvimento industrial, aumentou sua produção de armamentos e investiu nas indústrias químicas, exercendo forte concorrência com os produtos ingleses no mercado europeu. O crescimento militar e econômico da Alemanha desagradava outras potências europeias. A própria Inglaterra foi ameaçada quando a Alemanha iniciou seu projeto de formar uma marinha mercante e de guerra capaz de desafiar a sua hegemonia.

 

17. Que tensões políticas motivaram o atentado ao arquiduque austríaco Francisco Ferdinando?

Ver resposta
Resposta: Em 1908, ocorreu a primeira crise, quando os austríacos anexaram as regiões da Bósnia e da Herzegovina, provocando a ira dos sérvios. Em 1912, ocorreu a segunda crise, quando se formou a “liga balcânica”, que entrou em guerra contra o Império Turco, vencendo-o e tornando possível a independência da Albânia, Sérvia, Bulgária, Grécia e Montenegro. Ora, a independência da Albânia e a anexação da Bósnia-Herzegovina pelos austríacos impediam que a Sérvia realizasse seu projeto de expansão. Isso causou descontentamentos e levou os setores mais radicais dos nacionalistas sérvios a criarem uma organização terrorista, a Mão Negra, que tinha ramificações na Bósnia. E foi justamente um estudante da Bósnia, de nome Gavrilo Princip, quem recebeu a incumbência de executar o plano do assassinato do arquiduque austríaco Francisco Ferdinando.

 

18. Explique por que o ano de 1917 foi fundamental para os países envolvidos na Primeira Guerra Mundial.

Ver resposta
Resposta: As contínuas derrotas russas aceleraram a queda da autocracia czarista, culminando nas revoluções de 1917, que resultaram na implantação do regime socialista. Com a ascensão do novo governo, concluiu-se um acordo de paz em separado, o Tratado de Brest-Litovski, de 1918, oficializando a saída dos russos da guerra. Também em 1917, a derrota italiana na Batalha de Caporetto possibilitou às potências centrais voltarem-se para a frente ocidental franco-inglesa, e a Alemanha intensificou o bloqueio marítimo à Inglaterra, objetivando deter seus movimentos e o abastecimento da ilha da Grã-Bretanha. A entrada dos Estados Unidos na guerra, em 1917, com seu imenso potencial industrial e humano, reforçou o bloco liderado pela Inglaterra e pela França, que passou a obter sucessivas vitórias perante os alemães a partir do final de 1918.

 

19. Por que em termos de intensidade, a Primeira Guerra Mundial pode ser vista como a primeira experiência de “guerra total”?

Ver resposta
Resposta: Em termos de intensidade, a Primeira Guerra Mundial pode ser vista como a primeira experiência de “guerra total”, ou seja, que exige que todos os habitantes de um país e todas as suas forças se voltem para sustentar as tropas com recursos materiais e humanos. Isso se deveu ao impasse criado pela guerra de posições. O Estado passou a dirigir toda a economia para o esforço nacional de vencer os inimigos, e por isso uma das estratégias da guerra é atingir a economia e a produção dos outros. A guerra também avançou para o setor psicológico: esse era o objetivo de bombardear a população civil nas cidades distantes dos fronts, ou seja, abater o moral dos adversários. Essa prática seria tristemente comum nas guerras do século XX.

 

20. Os armamentos, entre outras inovações tecnológicas da época, constituíram artefatos bélicos de um poder de destruição até então inimaginável. Cite cinco dessas inovações tecnológicas.

Ver resposta
Resposta: As fronteiras nacionais tornaram-se áreas militarizadas e foram criados armamentos mais mortíferos, como fuzis de repetição, metralhadoras, lança-chamas, artilharia pesada, projéteis com gás venenoso e submarinos. Os navios ganharam blindagem de aço e motores-turbinas, tornando-se maiores e mais velozes, aumentando seu poder bélico. Desse modo, configurou-se a “paz armada”, em que as potências realizaram intensa corrida armamentista.
Tancredo Professor . 2017
Anuncie neste site
Twitter