Início > Enem > Lendo
Enem. Sociologia.

1. (Enem - 2013) A Sociologia surgiu tendo em vista diversas situações vinculadas às revoluções:

a. Russa e Mexicana.

b. Francesa e Russa.

c. Mexicana e Francesa.

d. Francesa e Industrial.

e. Mexicana e Chinesa.

Ver resposta
Resposta: LETRA D. O século XVIII se destacou no processo de mudanças que caracterizou os "tempos modernos" porque importantes revoluções tiveram nele seu berço: a Revolução Industrial e a Revolução Francesa. A primeira trouxe, para as cidades, novos contingentes originários das vilas rurais, o que gerou um profundo impacto social; e a segunda buscou assegurar direitos à nova população que havia se instalado no ambiente urbano. A cidade foi o espaço privilegiado para transformações sociais, econômicas e políticas na Era Moderna. O ritmo urbano acelerado e as mudanças econômicas e políticas, bem como o desenvolvimento da ciência e da técnica, alimentaram a ideia de que a vida em sociedade ´fruto do trabalho e da invenção humana. Essa nova mentalidade contribuiu para o desenvolvimento, em meados do século XIX, de um campo de estudos dedicado a compreender o sentido das transformações sociais e a maneira como os indivíduos a elas reagiam. Com essa promessa, nasceu a Sociologia.

 

2. (Enem - 2014) Uma norma só deve pretender validez quando todos os que possam ser concernidos por ela cheguem (ou possam chegar), enquanto participantes de um discurso prático, a um acordo quanto à validade dessa norma.

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

Segundo Habermas, a validez de uma norma deve ser estabelecida pelo(a):

a. Liberdade humana, que consagra a vontade.

b. Razão comunicativa, que requer um consenso.

c. Conhecimento filosófico, que expressa a verdade.

d. Técnica científica, que aumenta o poder do homem.

e. Poder político, que se concentra no sistema partidário.

Ver resposta
Resposta: LETRA B. Habbermas desenvolve o conceito de razão comunicativa que busca superar o conceito de racionalidade instrumental, ampliando o conceito de razão, para o de uma razão que contenha em si as possibilidades de reconciliação consigo mesma e com todos.

 

3. (Enem - 2010) Democracia: "regime político no qual a soberania é exercida pelo povo, pertence ao conjunto dos cidadãos".

JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D. Dicionário Básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

Uma suposta "vacina" contra o despotismo, em um contexto democrático, tem por objetivo:

a. Impedir a contratação de familiares para o serviço público.

b. Reduzir a ação das instituições constitucionais.

c. Combater a distribuição equilibrada de poder.

d. Evitar a escolha de governantes autoritários.

e. Restringir a atuação do Parlamento.

Ver resposta
Resposta: LETRA D. Povo soberano é aquele que exerce seu direito de voto e que escolhe preservando a democracia e a liberdade.

 

4. (Enem - 2011) O brasileiro tem noção clara dos comportamentos éticos e morais adequados, mas vive sob o espectro da corrupção, revela pesquisa. Se o país fosse resultado dos padrões morais que as pessoas dizem aprovar, pareceria mais com a Escandinávia do que com Bruzundanga (corrompida nação fictícia de Lima Barreto).

Fraga, P. Ninguém é inocente. Folha de S. Paulo. 4 out. 2009 (adaptado)

O distanciamento entre "reconhecer" e "cumprir' efetivamente o que é moral constitui uma ambiguidade inerente ao humano, porque as normas morais são:

a. Decorrentes da vontade divina e, por esse motivo, utópicas.

b. Parâmetros idealizados, cujo cumprimento é destituído de obrigação.

c. Amplas e vão além da capacidade de o indivíduo conseguir cumpri-las integralmente.

d. Criadas pelo homem, que concede a si mesmo a lei à qual deve se submeter.

e. Cumpridas por aqueles que se dedicam inteiramente a observar as normas jurídicas.

Ver resposta
Resposta: LETRA D. Essa questão, presente na prova do Enem 2011, suscitou inúmeras controvérsias, até mesmo pela utilização por parte dos corretores da chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI), uma vez que, provavelmente, tanto os alunos que desenvolveram determinadas habilidades concernentes à área de Ciências Humanas como aqueles que não dominam as habilidades exigidas poderão ser induzidos ao erro. Embora o gabarito oficial tenha sido a afirmativa (d), a qual enfatiza que as normas morais são códigos sociais aceitos pelos grupos sociais, a questão apresenta certa ambiguidade, considerando-se que a afirmativa (b) também poderia ser aceita como opção correta, uma vez que, em sociedades mais complexas, os códigos culturais e os preceitos morais neles inseridos, não sendo necessariamente universais, nem sempre são aceitos e seguidos pelo conjunto de indivíduos de uma determinada sociedade. Afinal, o distanciamento entre "reconhecer" e "cumprir" o que é considerado moral constitui uma ambiguidade inerente à condição humana.

 

5. (Enem - 2010) O Populismo no Brasil, tendência política ligada ao processo de desenvolvimento industrial a partir da década de 30, tem o seu momento mais crítico e o seu fim com a:

a. Morte de Getúlio Vargas em 1954;

b. Eleição de Juscelino Kubitschek em 1956;

c. Renúncia de Jânio Quadros em 1961;

d. Deposição de João Goulart em 1964;

e. Crise do Ato Institucional Número 5 em 1968.

Ver resposta
Resposta: LETRA D. No dia 31 de março o golpe foi desfechado a partir da IV Região Militar, sediada em Minas Gerais. Todas as regiões militares acabaram (com alguma vacilação) aderindo ao golpe. Sem condições de resistir, Goulart se refugiou no Uruguai. Iniciava-se o período dos governos militares que só se encerraria em 1985.

 

6. (Enem - 2011) No que consistiu o fenômeno do populismo na história política brasileira, depois de 1945?

a. Significou a inserção das massas camponesas, principalmente do Nordeste, no jogo econômico;

b. Significou a inserção da burguesia, principalmente industrial, no jogo político;

c. Significou a inserção das massas trabalhadoras, principalmente as urbanas, no jogo político;

d. Consistiu no domínio dos militares na política brasileira, principalmente a linha dura, com o apoio das massas urbanas;

e. Consistiu em um fenômeno localizado na região Nordeste do Brasil.

Ver resposta
Resposta: LETRA C. Independentemente do que foi, na essência, o populismo, ele significou a inserção das massas trabalhadoras, principalmente as urbanas, no jogo político. A única maneira de alijá-las da cena política daí para frente seria uma medida de força, um rompimento da ordem legal colocando os governantes a salvo do julgamento popular. Foi o que aconteceu em 1964.

 

7. (Enem - 2010) No século V a.C., a democracia  urbana ateniense apoiava-se no seguinte princípio:

a. Apenas os militares poderiam ocupar cargos públicos;

b. Homens e mulheres teriam direito a voto;

c. O governo auxiliaria aqueles que perdessem seus direitos civis;

d. Somente os sacerdotes poderiam ocupar cargos públicos;

e. Todos os cidadãos deveriam ter o direito de participar nos negócios públicos.

Ver resposta
Resposta: LETRA E. O sistema democrático comportava só os cidadãos, e estes eram apenas 10% de toda a população. A condição de cidadão se iniciava pela exigência de ter pai e mãe atenienses. Daí o número tão pequeno de cidadãos.

 

8. (Enem - 2009) Em seu livro Raízes do Brasil, Sérgio Buarque de Holanda desenvolve uma ideia em torno da qual constrói sua interpretação sociológica: a do "homem cordial". Este seria o brasileiro típico, fruto da colonização portuguesa e representante conceitual de nossa sociedade. Essa característica se desdobra em outros fenômenos sociais, como o coronelismo, o apadrinhamento, o "jeitinho" e a corrupção.

São características do "jeitinho brasileiro":

a. O espaço privado é tomado como um prolongamento do espaço público.

b. O bem comum estão acima dos interesses pessoais.

c. O brasileiro age pela emoção, abdica da formalidade e apoia-se na lógica dos favores.

d. O brasileiro diferencia o espaço público do privado.

e. O brasileiro utiliza critérios universais e objetivos.

Ver resposta
Resposta: LETRA C. O "homem cordial" caracteriza-se fundamentalmente pela rejeição da distância e do formalismo nas relações sociais. Os políticos tratam os assuntos públicos como se fossem assuntos privados, tornando o Estado mais "pessoal" e menos "burocrático".

 

9. (Enem - 2012)

TEXTO 1

Experimentei algumas vezes que os sentidos eram enganosos, e é prudência nunca se fiar inteiramente em quem já nos enganou uma vez.

DESCARTES, R. Meditações metafísicas. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

TEXTO 2

Sempre que alimentamos alguma suspeita de que uma ideia esteja sendo empregada sem nenhum significado, precisaremos apenas indagar: de que impressão deriva esta suposta ideia? E se for impossível atribuir-lhe qualquer impressão sensorial, isso servirá para confirmar nossa suspeita.

HUME, D. Uma investigação sobre o entendimento. São Paulo: Unesp, 2004 (adaptado).

Nos textos, ambos os autores se posicionam sobre a natureza do conhecimento humano.

A comparação dos excertos permite assumir que Descartes e Hume:

a. Defendem os sentidos como critério originário para considerar um conhecimento legítimo.

b. Entendem que é desnecessário suspeitar do significado de uma ideia na reflexão filosófica e crítica.

c. São legítimos representantes do criticismo quanto à gênese do conhecimento.

d. Concordam que conhecimento humano é impossível em relação às ideias e aos sentidos.

e. Atribuem diferentes lugares ao papel dos sentidos no processo de obtenção do conhecimento.

Ver resposta
Resposta: LETRA E. A questão aborda aspectos que estavam em discussão no alvorecer da ciência moderna: a experimentação e a observação, o papel dos sentidos na construção do conhecimento e o embate entre ciência e religião.

 

10. (Enem 2011)

Acompanhando a intenção da burguesia renascentista de ampliar seu domínio sobre a natureza e sobre o espaço geográfico, através da pesquisa científica e da invenção tecnológica, os cientistas também iriam se atirar nessa aventura, tentando conquistar a forma, o movimento, o espaço, a luz, a cor e mesmo a expressão e o sentimento.

SEVCENKO, N. O Renascimento. Campinas: Unicamp, 1984.

O texto apresenta um espírito de época que afetou também a produção artística, marcada pela constante relação entre:

a. Fé e misticismo.

b. Ciência e arte.

c. Cultura e comércio.

d. Política e economia.

e. Astronomia e religião.

Ver resposta
Resposta: LETRA B. A questão aborda aspectos que estavam em discussão no alvorecer da ciência moderna: a experimentação e a observação, o papel dos sentidos na construção do conhecimento e o embate entre ciência e religião. A ciência e a arte na construção do conhecimento.
Tancredo Professor . 2017
Anuncie neste site
Twitter