Início > Conteúdos > Lendo
A FORMAÇÃO DO EXÉRCITO BRASILEIRO

     Ao eclodir a guerra, o Brasil praticamente não tinha exército. Havia a Guarda Nacional, destinada ao policiamento interno, formada essencialmente pela aristocracia: os famosos "coronéis", que usavam a força militar para garantir seus privilégios, a posse do latifúndio, a escravidão e o acesso ao poder.

     O Exército brasileiro formou-se na e para a Guerra do Paraguai. Trazia em si todas as contradições do império. Entre seus soldados predominavam os negros escravos, mandados à luta em lugar dos aristocratas e gente de posses que, ou ficavam no Brasil ou iam ao Paraguai para chefiar os que realmente combatiam.

     Foi um desastre: gastaram-se seis longos anos combatendo. O Exército brasileiro foi acusado de cometer vários crimes de guerra: envenenar poços de água potável, matar crianças e mulheres. Enfim, cometeu - com argentinos e uruguaios - um genocídio contra a nação guarani.

     Mas seus soldados e oficiais adquiriram uma nova mentalidade. Um exército formado por escravos e gente do povo teria fatalmente um grande conteúdo popular. Repensaram, na guerra, a própria realidade brasileira, confrontando-a com a paraguaia. Nos campos de batalha cresceu a importância dos jovens oficiais, imbuídos de ideais progressistas (para a época) e republicanos, contestando - mesmo lutando fielmente - a política do Império.

     Quando voltou, esse exército encontrou o Brasil em crise, motivada pelos empréstimos ingleses a altos juros, para sustentar a guerra. E os oficiais com prestígio ganho na guerra começaram a conspirar ativamente contra a monarquia.

     E fortaleceram a luta que acabou com o escravismo - enfraquecendo a aristocracia latifundiária - e resultou na proclamação da república. A Guerra do Paraguai estimulou a modernização política do Brasil.

CHIAVENATO, Júlio José. A Guerra do Paraguai, p. 13.

 

#SAIBA MAIS

- Aristocracia: Sociedade na qual uma camada social privilegiada é a única que controla o Estado e as instituições. Classe nobre. Classe social dominante.

- Genocídio: Extermínio de grupos humanos, por motivos raciais, religiosos, políticos etc.

Tancredo Professor . 2017
Anuncie neste site
Twitter