Início > Conteúdos > Lendo
A SEMENTEIRA DA CRISTANDADE

O Cristianismo surgiu e se desenvolveu durante o Império Romano. Os primeiros cristãos enfrentaram muitas dificuldades no Império. Com o tempo, porém, o Cristianismo se impôs e passou a exercer influência no governo e, também, a receber influências.

 

#A SEMENTEIRA DA CRISTANDADE
Os romanos do primeiro século consideravam Cristo um rebelde político de pouca importância que, como escreveu Tácito, “foi crucificado sob Tibério, pelo procurador Pôncio Pilatos”. Não obstante ter pregado na remota Palestina durante menos de três anos, seus discípulos foram muitos e logo se puseram a palmilhar as estradas romanas em direção às províncias e cidades distantes. Com o passar do tempo, transformaram todo o império numa sementeira da nova religião.
Durante três séculos, as autoridades romanas fizeram dos cristãos seu bode expiatório político – até que subiu ao trono imperial Constantino, convertido em 337. Daí por diante, cada vez mais se refletiram na administração, nas leis e construções da Igreja, as formas do governo romano, suas normas legais e seu estilo arquitetônico. Roma passou a ser a sede do império e o centro da Igreja. (...)
Em seus primeiros tempos a Igreja, com suas congregações espalhadas por todo o império, não possuía organização central. Não obstante o núcleo de crenças comuns, as formas do culto diferiam de cidade para cidade, surgiram rivalidades entre os discípulos e floresciam as disputas doutrinais. Os discípulos deviam levar em conta os costumes locais, pois, como dizia o apóstolo São Paulo, “tornei-me tudo, para todos, para que pudesse salvar alguns”.
A organização do império influenciou o caráter da Igreja. Era um império de cidades e a cristandade tornou-se um movimento urbano. As massas miseráveis convertiam-se prontamente, pois esperavam que Cristo, voltando ao mundo, as livrasse de seus ricos senhores. Na realidade, a Igreja tornou-se tão poderosa nos centros urbanos que os cristãos usavam a palavra latina “paganos”, que significa “rústico”, para se referir ao não cristão – e daí deriva a palavra pagão.
O próprio São Pedro, depois de pregar no Oriente durante trinta anos, veio estabelecer-se na mais importante cidade do império, Roma, que era a única rival de Constantinopla.

(Roma imperial. Biblioteca de História Universal Life. Rio de Janeiro, José Olympio, p. 167 e 168).

 

#SAIBA MAIS:
- Congregação – grupos de pessoas que praticam a mesma religião.
- Pagão – aquele que não seguia o cristianismo.

Tancredo Professor . 2017
Anuncie neste site
Twitter