Início > Conteúdos > Lendo
A CRISE DO FEUDALISMO

Se as cidades tinham grandes concentrações de homens e mulheres, também tinham enormes concentrações de ratos. E esses ratos ajudaram a transmitir a peste negra, a doença com o maior índice de mortalidade da história europeia.

No século XIV, quando a peste se alastrou por diversas partes do continente, morreram mais de 13 milhões de pessoas. Havia dois tipos de peste: uma era transmitida pela pulga dos ratos. Matava as pessoas infectadas em menos de um mês. A outra epidemia era transmitida pela saliva humana. Matava as pessoas infectadas em três dias.

A peste devastou a população europeia no século XIV, com grandes consequências a longo prazo para quase todo o continente. Como as condições de higiene nas cidades eram precárias, a população de ratos ajudava a transmitir a doença.

Em contrapartida, em um ambiente de profunda religiosidade, eram realizadas missas e grandes procissões para pedir a ajuda de Deus. Nessas ocasiões, o contágio humano através da saliva acelerava a transmissão da doença.

Pode-se dizer que a peste negra foi uma consequência do feudalismo. Com o aumento da população, das feiras e das cidades, o contato entre as pessoas tornou-se maior. Vários pontos da Europa passaram a se articular através do comércio.

O comércio também trouxe a peste do Oriente. Pelos portos da Península Itálica, a peste entrou na Europa no período medieval.

O resultado das mortes figura entre as causas da crise do feudalismo. Com uma queda assustadora da mão de obra (dos servos e artesãos), ocorreu uma crise geral na sociedade. Os trabalhadores fugiam de áreas infectadas. Muitos senhorios perderam grande parte de seus trabalhadores. A nobreza enfraquecia-se.

Senhores feudais tentavam manter, pela força, os servos em seus domínios. Ou, então, obrigá-los a pagarem prestações ainda mais duras. Revoltas de camponeses tornaram-se frequentes. A nobreza mostrava-se incapaz de garantir o controle social.

Cada vez mais, os poderes monárquicos ampliariam sua atuação sobre o conjunto da sociedade. A centralização do poder, como já ocorrera na Península Ibérica, estava em curso.

Tancredo Professor . 2017
Anuncie neste site
Twitter