Início > Conteúdos > Lendo
A QUEDA DA BASTILHA

O POVO NAS RUAS

Em 14 de julho, o povo de Paris tomou a Bastilha, fortaleza que funcionava como arsenal de armas e prisão política na França do Antigo Regime. Seguiram-se revoltas rurais e urbanas em várias regiões da França, exigindo o tabelamento dos preços, o fornecimento regular e até mesmo a distribuição gratuita do trigo e o fim das taxas feudais. No campo, corria a notícia de que hordas de bandidos, a mando dos aristocratas, saqueariam as propriedades camponesas. Os camponeses reagiram violentamente, invadindo e incendiando os castelos da nobreza. Esses acontecimentos ficaram conhecidos como o Grande Medo.

A Assembleia teve de tomar medidas rapidamente. Em 4 de agosto, decretou a abolição dos privilégios feudais, e, em 26 de agosto de 1789, proclamou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, que reconhecia a todo e qualquer indivíduo determinados direitos naturais, documento que serviu de base para a reforma jurídica do Estado. Com essas decisões, a sociedade de ordens, que vigorava na França desde a Idade Média, foi abolida.

 

A TOMADA DA BASTILHA

A Bastilha era uma antiga fortaleza medieval que, durante o Antigo Regime, funcionava como prisão. Nela ficaram detidos grandes intelectuais iluministas, como Voltaire. No final do século XVIII, porém, ela já havia perdido sua função de prisão, mas ainda representava um símbolo da tirania do absolutismo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

#SAIBA MAIS

- 14 de julho de 1789. Novamente Luís XVI tentou controlar a situação, desta vez organizando tropas para combater os motins realizados em Paris pelos membros do terceiro estado. Mas a revolta popular já tomara conta das ruas, e o rei não tinha força para detê-la. Um dos principais lemas repetidos pelos revolucionários era "Liberdade, igualdade e fraternidade".

No dia 14 de julho de 1789, uma multidão de populares invadiu e tomou a velha prisão da Bastilha, símbolo do poder absoluto do rei, onde ficavam presos os inimigos políticos da monarquia francesa. Libertaram os presos e apoderaram-se das armas ali estocadas, com a intenção de usá-las na defesa dos ideais do terceiro estado. De Paris, a revolta popular espalhou-se por toda a França.

Sem força para dominar a agitação, o rei Luís XVI foi obrigado a reconhecer a legitimidade da Assembleia Nacional Constituinte.

- A Bastilha não era a terrível prisão política onde eram encarcerados os inimigos do Estado francês. Não era também um edifício inexpugnável. Essa fortaleza-prisão, construída entre 1370 e 1382, já havia sido cercada e conquistada seis vezes, antes e durante os conflitos civis. No dia 14 de julho de 1789, em apenas cinco horas, uma multidão de mais de 10 mil pessoas a tomou de assalto. No entanto, em torno desse fato, construiu-se um verdadeiro mito. A queda da Bastilha passou a ser considerada a primeira vitória popular no contexto da Revolução Francesa. E esse acontecimento passou a ser festejado como a queda do Absolutismo.

 

 

Tancredo

Tancredo Professor . 2017
Anuncie neste site
Twitter